Dengue: cidade corre risco de nova epidemia

Alto índice de larvas do mosquito foi encontrado em residências


Os agentes municipais de combate às endemias têm registrado alto índice de larvas provenientes do mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue) nas residências de Matão. Neste ano, as vistorias do Controle de Vetores são quinzenais em imóveis como escolas, creches e clubes, além de outros pontos estratégicos, como borracharias, indústrias e ‘ferro velho’. Ainda acontece o recolhimento de pneus em oficinas, duas vezes por semana. Arrastões também são feitos para extinguir criadouros do mosquito transmissor da doença. Agentes de combate às endemias têm encontrado irregularidades durante as vistorias nas casas – como o acúmulo de água em recipientes inadequados, incentivando a proliferação do mosquito.

 

ALERTA

Segundo o secretário de Saúde, João Guimarães, a cidade pode registrar nova epidemia de dengue por conta do alto índice registrado na ADL (Avaliação de Densidade Larvária), que mostra a infestação do mosquito transmissor da dengue. “Neste ano foi confirmado apenas um caso de dengue no município, em janeiro. Porém, temos quatro casos aguardando resultado, sendo que dois testes de sorologia serão refeitos por terem dado resultados inconclusivos. Não há casos confirmados de zika vírus e febre Chikungunya até o momento, mas devemos ficar atentos ao acúmulo de água em recipientes nas residências, já que corremos o risco de ter nova epidemia de dengue em Matão”, destaca.

Para que a equipe de Controle de Vetores consiga realizar as vistorias e conter eventual surto de dengue na cidade, é preciso a colaboração de todos os munícipes.

 

Confira a matéria completa na edição impressa do jornal A Comarca publicada nesta sexta-feira (06).




  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários