Dia 16 de abril é o Dia Mundial da Voz

Nossa voz é o resultado de características herdadas e do ambiente em que vivemo


Sendo um importante instrumento e um dos principais responsáveis pela comunicação humana, a voz expressa sentimentos e emoções, traços de personalidade e pode evidenciar problemas vocais e de saúde.

Ela é produzida na laringe, um tubo que fica no pescoço, onde temos duas dobras de músculos e mucosas chamadas popularmente de “cordas vocais” (seu nome correto é pregas vocais). Na produção da voz as pregas vibram com a passagem do ar dos pulmões, que é o combustível para o som. O som é transformado em fala pelos movimentos de várias estruturas como a boca, a língua, e os lábios que, comandados pelo cérebro, enviam os impulsos de acordo com o que queremos falar e de que forma (fraco ou forte, fino ou grosso), modulação, entonação, etc.

 Nossa voz é o resultado de características herdadas e do ambiente em que vivemos, sofrendo influências sociais e culturais. Cada voz é única. Podemos ser reconhecidos pela forma como a usamos, em diferentes momentos, variando de acordo com nossas emoções, intenção comunicativa e com quem falamos.

Ela deve soar de forma clara, suave, sem esforço, cansaço, rouquidão.

 Pode sofrer a influência do estado de saúde física ou mental.

Cuidados como articular bem as palavras, hidratar o corpo com 2 litros de água ou mais por dia, evitar falar alto ou gritar, pigarrear, sussurrar, cantar de forma inadequada ou abusiva podem favorecer uma voz saudável. Vale lembrar que a ingestão de leite e derivados, bebidas gasosas e chocolates antes de utilizar a voz continuamente, e ainda fumar, ingerir álcool em excesso, bem como outras drogas prejudicam a voz.

Se no ambiente de trabalho há ar condicionado, é necessário hidratar-se bastante, bem como fazer a manutenção de limpeza. Resíduos de sujeira e ácaros prejudicam todo o aparelho respiratório e fonatório.

Importante lembrar que a associação de álcool e fumo aumentam as chances de ocorrer câncer de laringe, assim como em demais órgãos.

 Fique atento quanto a sintomas como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro e rouquidão persistente por mais de 15 dias. Procure o médico otorrinolaringologista e o fonoaudiólogo. Evite a automedicação e uso de remédios caseiros, que podem causar irritação na garganta ou mascarar algum problema.

           

Rosangela Ramos Falcão

Fonoaudióloga

CRFª 2-7392

 




  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários