Os diferenciais do CFC Nacional

Unidade oferece período mais curto de treinamento e investimentos constantes em veículos e na equipe


No dia 8 de maio de 2006, Fábio André Zanelli e sua esposa Alessandra Lazari Zanelli adquiriram a unidade do Centro de Formação de Condutores Nacional de Matão (CFC Nacional), fundada em 26 de junho de 2001. Investindo constantemente na aquisição de veículos, equipamentos e em sua equipe de colaboradores, o CFC Nacional busca atender cada vez melhor a seus alunos. Sobre o CFC Nacional, A Comarca entrevistou Alessandra.

Por que vocês adquiriram o CFC Nacional?

Adquirir um Centro de Formação de Condutores era a grande vontade do meu marido Fábio. Seu histórico como instrutor de trânsito começou em 1996, quando ele tinha 20 anos. Após seu emprego inicial, ingressou no CFC Nacional logo na fundação deste. A unidade pertencia a um dos tios do Fábio, Florival Canova, a seu primo Gilberto Bertonha e outros dois sócios. Amadurecemos a vontade do Fábio em ser proprietário e adquirimos o CFC Nacional de Matão. Ingressamos neste empreendimento com muita gana, investindo na aquisição de dois carros e duas motos e resolvendo situações internas. Em 2009, o CFC Nacional ganhou um reforço extremamente importante: a diretora de ensino Janaína Cristina Ferreira Aguirre, que foi fundamental para o nosso propósito de crescimento e consolidação do CFC Nacional.

Os investimentos foram feitos sequencialmente.

Investimentos em melhorias físicas, humanas, equipamentos e veículos se sucedem no CFC Nacional. Em dezembro de 2014, adquirimos o Simulador de Direção Veicular. Desde 2006, trocamos os carros a uma média de três anos. As motos são substituídas a cada cinco anos. Desde 2010, o CFC Nacional conta com três carros e três motos.

Quais são os modelos atualmente?

Temos dois Mobis (Fiat) e um Ônix (Chevrolet); uma Honda Fan e duas Yamaha YBR, todas com 150 cilindradas. A Honda Fan foi comprada no último mês de março; uma das YBR em novembro de 2017 e a outra será trocada no próximo mês de dezembro. Os dois Mobis serão trocados no último trimestre de 2019 e o Ônix é novinho! Foi adquirido no mês passado (agosto), já com direção elétrica. Os dois Mobis e o Ônix têm ar condicionado, sendo direção hidráulica nos dois Mobis. Estes confortos também são diferenciais do CFC Nacional.

Vocês percebem que os alunos valorizam estes diferenciais?

Eu e o Fábio somos formados em Recursos Humanos. É bem natural que – num bate-papo informal – saibamos o porquê das preferências dos nossos alunos. Então detectamos que estes confortos, aliados a um período de treinamento mais curto, são os dois pontos fundamentais do CFC Nacional. Não há necessidade dos alunos se deslocarem de um local a outro para se inscreverem, terem as aulas teóricas e as aulas práticas em simulador. Também temos uma equipe de colaboradores muito bem treinada, o que possibilita um excelente atendimento.

Quais os integrantes da equipe?

Além de mim e da Janaína no simulador e nas aulas teóricas e do Fábio nas aulas práticas de trânsito, nossa equipe conta com a recepcionista Rosana Luchetti Gatti (desde 2014) e os instrutores de trânsito Dennye David Torres Vilar (desde 2010), Charles Geraldo Ribeiro, Edecarlos Marcelo Trindade (ambos desde 2013), Émerson Alan de Almeida e Leonildo Pastreli (respectivamente, desde abril e agosto de 2018).

Qual o endereço e os contatos?

O CFC Nacional está instalado na Avenida Siqueira Campos, nº 1.295, quase esquina com a Rua Prudente de Morais (Centro). Os telefones são 3384-8236, 3394-4843 e 99162-9756. O e-mail: cfcnacional_matao@hotmail.com. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira das 8 às 18 horas e aos sábados das 8 às 12 horas (somente aulas práticas).


Fonte: Rogério Bordignon


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários