Matonenses marcaram presença na São Silvestre

Atletas participaram da 94ª edição da prova de 15 quilômetros pelas ruas de São Paulo


Mais uma vez, os africanos dominaram a Corrida de São Silvestre. Nesta 94ª edição da prova, disputada no último dia 31, dos dez primeiros colocados no Masculino, sete eram africanos. No Feminino, das dez que chegaram na frente, nove eram africanas. O vencedor foi Belay Tilahun Bezabh (Etiópia, com o tempo de 45 minutos e 03 segundos); a ganhadora foi Sandrafelis Tuei (Quênia, 50’02).

O melhor brasileiro colocado foi Giovani dos Santos (8º lugar, com 46’38), seguido de Wendell Jeronimo de Souza (9º, 46’43). Entre as brasileiras, destaque para Jenifer do Nascimento (8ª colocada, 54’05). Matonenses também participaram desta prova com 15 quilômetros de extensão: Claudemir de Deus, Ricardo Branco, Daniel Henrique Cayres e Girson Roberto Liute.

Daniel concluiu a prova em 1 hora, 1 minuto e 49 segundos (1h01’49, sendo 280º no geral e 46º na sua faixa etária). Em sua quinta participação consecutiva, entre outras passadas intervaladas, Claudemir terminou a prova em 1h42’39 (7.637º e 557º). Girson fez em 2h02’38 (12.997º e 2.190º) e Ricardo, em 2h10’13 (14.433º e 393º). No total, a prova internacional reuniu cerca de 30 mil atletas.

“O João Vetuche também participou, concluindo em 1h51’12 e chegando em 10.000º na classificação geral”, informa Claudemir. “A mudança de local para a entrega dos kits, do Parque Ibirapuera para o Palácio de Convenções do Anhembi, permitiu que o tempo de espera nas filas fosse reduzido em aproximadamente 25% em relação aos anos anteriores”, comenta.

“Assim como em 2017, o acesso dos atletas à Avenida Paulista ocorreu por ruas paralelas, mas isso também foi melhor organizado nesta 94ª edição. Também atuaram com maior rigor na contenção dos atletas ‘pipocas’ (sem inscrição), o que reduziu muito a participação deles. No geral, a organização dessa prova superou a da edição passada”, assegura Claudemir.

GRUPO

A Clínica de Treinamento Running For Life também participou da ‘São Silvestre’ com nove atletas. Duas palavras resumem a experiência vivida por eles: emoção e superação. Dos nove, oito estrearam na prova: Maria Neuza Mukai, Alessandra Moris, Marcos Roberto do Nascimento (Markinho), Tuca Sartori, Eliana de Carvalho Machado, Fernando Moris, Jeferson Mariani e Ana Claudia Annuccio Leite.

Neuza Mukai já tinha participado. “A ‘São Silvestre’ é uma corrida marcada pela emoção, pois é um dos maiores evento do mundo na categoria. É a realização de um sonho para quem pratica o esporte”, afirma Ederaldo Job (Ed), coordenador técnico da equipe. “Todos concluíram a prova, para a qual foram três meses de treinamentos intensos, em que cada um seguiu uma planilha detalhada”, resume Ed.

“Tivemos a sensação de uma conquista, de uma grande vontade realizada”, disse Tuca Sartori. “Foi uma corrida inesquecível; sem dúvida, vai ficar marcada na minha vida. Um momento de muita alegria. Digo para todos não desistirem de seus sonhos, todos somos capazes de realizar. Eu consegui!”, conta Ana Cláudia Annuccio Leite.

No dia 31 de dezembro de 1939, Matão teve representante na Corrida de São Silvestre pela primeira vez. Cleophas Guimarães obteve o 185º lugar no geral, entre 1.500 corredores do Interior do Estado de São Paulo e da Capital, ficando na 8ª colocação se considerados somente os atletas do Interior.


Fonte: Rogério Bordignon


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários