Estoril: ex-atletas se reencontram

Partida acontece neste sábado (2), na Sorema

Foto: Arquivo Pessoal

Marcelo Augusto Prado (Mazão), José Aparecido Matturro e Reinaldo Luiz Panegocci (Pinduca) deram depoimentos para esta matéria na manhã do último domingo (26), no Bar do Zezinho (Match Point), na Sociedade Recreativa Matonense (Sorema). Entre umas e outras palavras, Mazão resumiu muito bem o propósito de um evento que reviverá uma bela história: a do Estoril Tênis Clube.

“Acredito que o propósito deste jogo entre ex-atletas pode ser sintetizado com o seguinte espírito: ‘Um arremesso no tempo’”, mencionou Mazão na oportunidade, já definindo o título desta matéria e remetendo ao contexto de nostalgia deste evento, marcado para este sábado (2), às 16 horas, na quadra poliesportiva ‘Armando Theodorico Gomes’, da Sorema.

Ao público que pretende assistir a partida, os organizadores solicitam a doação de um litro de leite para ser destinado a uma entidade filantrópica – embora o ato não seja obrigatório. “A Sorema mais uma vez abre suas portas para Matão, assim como sempre fez nestes 57 anos de fundação. É um prazer receber pessoas, familiares e amigos para relembrar um time que marcou época na cidade”, cita Matturro, presidente da Sorema.

“Também joguei basquete em minha juventude, mas não no Estoril. O Mazão nos procurou e prontamente compreendemos o magno significado em ser a casa deste reencontro de gerações que conviveram sob a bandeira do Estoril, legenda no esporte regional. Quantas cidades tiveram time na Divisão Especial Paulista?”, pergunta Pinduca, presidente do Conselho Deliberativo do clube.

Serão homenageados José Emílio Picchi e Etevaldo Fortes de Arruda (Goiano). Zé Emílio por ser uma das mais longevas expressões do basquete matonense em vida e Goiano porque veio a Matão para jogar no Estoril em 1980, estruturando aqui sua família e sua vida. Jogadores e treinadores de distintas gerações integrarão este momento histórico de reencontro, entrelaçando desporto e amizade.

“Certa vez, durante uma edição dos Jogos Regionais no primeiro governo do ex-prefeito Jayme Gimenez, havia um slogan memorável: ‘O esporte faz amigos; Matão faz esporte’. É bem isso! Além de cuidar da saúde, o esporte educa crianças e jovens. No esporte, há preocupação com o outro; há disciplina, hierarquia, democracia”, discorre Matturro.

‘Trazer este evento para a Sorema – além de inaugurar oficialmente a modalidade basquete em nossa quadra coberta – fortalece nos associados a importância do esporte na formação das pessoas. Veja bem: estamos nos referindo a um time que existiu de 1978 a 1988, praticamente, pois foi extinto em 1989. Reverbera por décadas essa dimensão atingida por desporto e amizade”, considera Pinduca.

“Nossa intenção é criar mais escolinhas, de futebol, basquete, vôlei, enfim, de outras modalidades, contratando professores de Educação Física por hora/aula, talvez a partir de março de 2018. Já temos o sucesso da retomada da Escolinha de Tênis, conduzida pelo professor Oscar Carvalho, e queremos o mesmo para outras modalidades”, perspectiva Matturro.

Mazão salienta que a intenção primordial do Estoril era formar cidadãos e jogadores de basquete em suas escolinhas. “Como salientou Mário Paioli Filho (Marinho), em depoimento à Revista A Comarca – Matão 100 anos (1998), ‘crescemos e começamos a gostar daquele crescimento; foi difícil parar antes do tempo, dada a importância do Estoril para Matão’”, ressalta ele.

O idealizador do evento agradece a Sorema através de Matturro e Pinduca e convida a população matonense. “Vamos partilhar deste momento juntos! Venham para a Sorema! Certamente, Matão cabe neste clube, que está muito bonito, repleto de novidades. Que esta celebração da amizade seja fomentadora de novas ações e impulsione mais o que já existe”, deseja Mazão.

Fotos: Arquivo pessoal


Fonte: Rogério Bordignon


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários