Vendas superaram as registradas no Natal de 2016, diz Sincomércio

Expectativa é de um 2018 melhor, apesar dos feriados

Foto: Divulgação

O ritmo de vendas no período correspondente à primeira quinzena do último mês de dezembro foi lento, segundo avaliação do presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio-Matão), Antonio Geraldo Giannini (Toninho). “Foi repetido o que ocorreu no mesmo recorte de tempo em 2016”, continua.

Toninho afirma que a grande maioria das pessoas recebe a segunda parcela do 13º Salário entre os dias 15 e 20 de dezembro. “A injeção de boa parte do montante referente a esta segunda parcela canalizou aumento significativo, variando de acordo com o ramo de atividade em 3% a 4% a mais nas vendas natalinas”, comenta o presidente do Sincomércio.

“Algumas lojas venderam igual a 2016; outras superaram em 4%. Então consideramos uma média geral de 3,5% superior ao Natal de 2016”, cita Toninho, ressaltando que as promoções de produtos natalinos em janeiro são crescentes ano a ano. “Vendem mais produtos alimentícios, sobretudo nos supermercados que realizam grandes promoções”, registra o presidente.

“Desde 2014, com o declínio da economia, constatamos que presentes de menor valor são os preferidos pela maior parte dos compradores”, constata Toninho, que recebe com bons olhos o ingresso de duas lojas de variedades em Matão. “É positivo no aspecto do ganho que elas proporcionam e na concorrência que acirram, favorecendo o consumidor final. O principal são os empregos que geram”, resume.

Ao longo de 2017, algumas lojas fecharam as portas. “No entanto, entre o que deixou de existir e o que expandiu ou foi inaugurado, Matão manteve sua média no setor comercial. Graças ao investimento de lojistas e empreendedores, o matonense ganha mais opções, cenário que favorece cada vez mais as compras no comércio de Matão”, sintetiza Toninho.

Para 2018, o presidente do Sincomércio espera a confirmação de retomada da economia, ainda que tímida. “Economistas projetam crescimento da economia em 1,5%; outros em 3%. Desejamos que cresça, mesmo que de forma tímida. A expectativa é de que 2018 supere 2017, mesmo com a quantidade de feriados que teremos ao longo deste ano”, frisa Toninho.


Fonte: Rogério Bordignon


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários