Matão atinge 95% da meta de vacinação

Campanha contra poliomielite e sarampo ainda foi prorrogada até o próximo dia 14


Após o empenho da rede municipal de Saúde durante o mês de agosto, Matão finalizou a Campanha de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo. As ações aconteceram em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) de Matão, exceto no bairro Las Lomas por não possuir sala de vacinação. Portanto, o município conseguiu atingir a meta de cobertura com 95% de imunização, sendo 98,52% contra a poliomielite e 96,56% contra o sarampo. A campanha foi realizada em Matão pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde.

Toda a mobilização aconteceu devido aos surtos que ocorreram em alguns estados do país. Por isso, o governo convocou esta ação para aumentar a cobertura vacinal e impedir a disseminação do sarampo. A imunização exigia duas doses. Normalmente, no setor público, a primeira é dada aos 12 meses de vida, com a versão tríplice viral, e a segunda aos 15 meses, com a tetraviral. Esta vacina faz parte do Calendário Nacional de Vacinação ao longo de todo o ano.

Neste ano, as crianças deveriam ser levadas aos serviços de saúde mesmo que já tivessem sido vacinadas anteriormente. O grupo prioritário foi de crianças de 12 meses a menores de 5 anos, além de pessoas de 5 a 29 anos, que deveriam tomar as duas doses da vacina, enquanto as de 30 a 49 anos receberam apenas uma dose da tríplice viral. Mesmo com a meta atingida, a Campanha de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo foi prorrogada até o dia 14 de setembro. Portanto, crianças e demais pessoas que ainda não receberam a vacina podem procurar uma UBS das 8 às 17 horas.

POLIOMIELITE

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa aguda, causada por um vírus que vive no intestino denominado Poliovírus. Embora ocorra com maior frequência em crianças menores de quatro anos, também pode acometer os adultos. O período de incubação varia de dois a 30 dias sendo, em geral, de sete a 12 dias. A maior parte das infecções apresenta poucos sintomas e estes são parecidos com os de outras doenças virais ou semelhantes às infecções respiratórias como gripe – febre e dor de garganta – ou infecções gastrintestinais como náusea, vômito, prisão de ventre, dor abdominal e, raramente, diarreia.

Cerca de 1% dos infectados pelo vírus pode desenvolver a forma paralítica da doença, que pode causar sequelas permanentes, insuficiência respiratória e, em alguns casos, levar à morte. Em geral, a paralisia se manifesta nos membros inferiores de forma assimétrica, ou seja, ocorre apenas em um dos membros. As principais características são a perda da força muscular e dos reflexos, com manutenção da sensibilidade no membro atingido.

SARAMPO

O sarampo é uma doença extremamente contagiosa causada por um vírus chamado Morbillivirus. Ela é recorrente em crianças, mas atinge, de forma mais grave, adultos e bebês com menos de 1 ano. A transmissão acontece ao se entrar em contato direto com pessoas infectadas ou mesmo ao tocar em uma superfície contaminada. Isso ocorre porque as partículas virais conseguem perdurar por um longo tempo no ambiente. O contágio também pode acontecer de mãe para filho durante a gravidez, no parto ou até pela amamentação.

Os principais sintomas são febre acompanhada de tosse persistente, irritação nos olhos, coriza, congestão nasal e mal estar intenso. Depois disso começam as manchas vermelhas na pele, podendo aparecer lesões na boca. Em casos de sarampo, não existe um tratamento específico – a única forma de prevenção é a vacina.


Fonte: AIP


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários