Toxoplasmose exige muita atenção

Cidade registrou casos da doença, cujo tratamento é longo e a base de antibiótico

Para Mário, cuidados são essenciais
Foto: Ingrid Alves

Dores de cabeça e no corpo, febre, cansaço, mal estar... esses sintomas, tão comuns em várias doenças, podem ser sinais de toxoplasmose – doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Os gatos são muito mencionados quando se fala de toxoplasmose, pois ele é o hospedeiro definitivo, que elimina o protozoário pelas fezes. A contaminação do homem se dá pela ingestão do protozoário eliminado nas fezes de gatos contaminados, pela ingestão de carne de animais que tenham ingerido o protozoário ou ainda por verduras e frutas cruas e mal lavadas.

“É importante que as pessoas sempre lavem bem as mãos com água e sabão após manusear carne crua, lavem muito bem alimentos crus e não consumam carne mal passada. Pede-se também para consumir produtos lácteos – como queijo e leite – que tenham passado por processo de pasteurização”, alerta o veterinário Mário Pedro, da FarmaVet. Ele alerta que é essencial manter a boa saúde do gato de estimação com visitas periódicas ao médico veterinário, para que possa ser examinado, vermifugado e vacinado.


SINTOMAS

A toxoplasmose pode ser uma doença sem sintomas. Se o sistema imunológico da pessoa estiver fortalecido, o parasita pode permanecer inativo em tecidos do corpo do portador por toda a vida, sem que ele sequer saiba que foi infectado. Alguns podem apresentar sinais discretos da infecção, semelhantes aos de um quadro viral comum, como dores na cabeça e no corpo, febre, cansaço e alterações na visão (em alguns casos).

Se o sistema de defesa estiver debilitado, a infecção pelo Toxoplasma gondii pode se espalhar para outros órgãos do corpo. Assim, o indivíduo pode apresentar dores de cabeça e garganta, manchas pelo corpo, confusão mental, convulsões, encefalite, aumento do fígado e baço, moléstias pulmonares, dificuldades para enxergar e problemas de audição.

 

TRANSMISSÃO

A transmissão se dá pela ingestão dos oocistos infectantes de Toxoplasma gondii, que podem ser encontrados em carnes cruas ou mal passadas de hospedeiros intermediários que contêm cistos do parasita ou pelo consumo de água, frutas e verduras cruas que abriguem oocistos do Toxoplasma gondii. O contágio pode ocorrer também pela manipulação de alimentos ou utensílios de cozinha (facas e tábuas, por exemplo) por ele contaminados.

A toxoplasmose pode ser transmitida da mãe para o feto durante a gestação através da placenta (toxoplasmose congênita) ou, num número menor de casos, por transfusão de sangue e pelo transplante de órgãos, se os doadores estiverem infectados. De acordo com o veterinário Pedro Gabriel, os homens e alguns animais são apenas hospedeiros intermediários do parasita, ou seja, não têm o poder de transmissão para outros indivíduos.

E só informação não é o suficiente para se prevenir da doença. Pedro, inclusive, está finalizando o tratamento. Ele e mais três pessoas da família contraíram toxoplasmose. “No primeiro dia, passei a madrugada com febre. Acordei com dores pelo corpo, indisposição e dor de cabeça. Com o passar dos dias, esses sintomas foram se acentuando cada vez mais, somados com muita fadiga muscular, letargia, tonturas, falta de apetite e febre constante”, conta. Ele procurou um médico e a primeira suspeita era de dengue.

Através de exames sorológicos foi descoberto que todos os sintomas eram causados pela toxoplasmose, descartando a dengue e algumas outras doenças com sintomatologia semelhante. O tratamento é longo e a base de antibiótico, com uma boa alimentação e repouso. “Estou no final do tratamento, sinto um pouco de fadiga muscular e letargia, mas nada comparado ao início da doença”, diz. A suspeita é de que a contaminação tenha acontecido através da ingestão de água ou alimentos contaminados. Outros casos da doença também estão sendo registrados em Matão.

 

SURTO

A cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, passa por um surto de toxoplasmose. Até a noite da quarta-feira (13), mais de 500 casos foram registrados e 200 aguardavam confirmação. Os medicamentos, inclusive, já começaram a faltar.


Fonte: Ingrid Alves


  • Compartilhe com os amigos:


Deixe um comentário



Comentários