Câmara devolveu mais de R$ 2 milhões à Prefeitura

Economia de recursos financeiros foi providenciada durante o ano de 2017

Edinardo, Ivan e Valtinho. “O apoio financeiro da Câmara foi fundamental para que pudéssemos manter alguns serviços essenciais à população”, disse o prefeito

A Câmara Municipal devolveu, no ano de 2017, mais de R$ 2 milhões à Prefeitura de Matão. O anúncio oficial foi feito pelo presidente do Legislativo matonense, Valter Luiz Trevizaneli (Valtinho). Preocupado com a crise financeira que a Prefeitura atravessa, o presidente junto com os demais vereadores e funcionários da Câmara realizaram uma economia de recursos financeiros durante o ano de 2017, possibilitando a devolução.

O dinheiro, que é parte do duodécimo da Câmara, somou a quantia de R$ 2.644.899,79, já devolvidos para a Prefeitura. Dentre as medidas adotadas pelo Legislativo para a redução de gastos, destaca-se que os vereadores aprovaram a extinção de 20 cargos comissionados, seguindo determinação do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP).

“A Câmara reconhece que a cidade vive um momento difícil devido à crise financeira. Em conversa com o prefeito Edinardo Esquetini, estudamos a melhor maneira de colaborar com a Prefeitura. Consultei o departamento financeiro da Câmara e fizemos a devolução do dinheiro durante o ano. Agradeço a todos os funcionários da Câmara e aos vereadores pela economia mantida diariamente nas ações e serviços. Sabemos que essa economia retorna para o município, beneficiando a população”, disse Valtinho.

Para o prefeito Edinardo Esquetini, a boa gestão da Câmara fez com que o município pudesse manter o planejamento financeiro da Prefeitura. “O apoio financeiro da Câmara foi fundamental ao longo do ano para que pudéssemos manter alguns serviços essenciais para a população, já que é de conhecimento de todos que a Prefeitura vive o pior momento de sua história na área financeira”, comentou Esquetini.

Vale ressaltar também que, além da devolução de mais de R$ 2 milhões à Prefeitura, o Legislativo matonense tem solicitado somente 5,19% dos 7% do duodécimo que é de direito, conforme o inciso I do artigo 29-A da CF para municípios de até 100 mil habitantes. O valor máximo a ser repassado ao Legislativo é 7% do somatório da receita tributária e das transferências previstas no § 5º do art. 153 e nos arts. 158 e 159.

“Desde o início de 2017, todos (vereadores e funcionários) foram comprometidos com o objetivo de economizar. Nos adaptamos à realidade e o resultado demonstra que uma administração com seriedade, consciência e responsabilidade com o dinheiro público faz com que haja sobra sem deixar com que as prioridades básicas sejam supridas”, destacou o presidente Valtinho Trevizaneli.

 


Fonte: A.I.C




Deixe um comentário



Comentários




Moio

acidente

Policia

Roubo de caminhonete

Policia

Roubo

Moda

Pinching